Por falta de provas, Eduardo Paes (PSD) foi absolvido no processo em que era acusado de ter recebido uma suposta doação de campanha irregular da Odebrecht no valor de R$ 650 mil.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, havia sido citado em delação premiada

Reprodução

O Ministério Público havia recebido a denúncia com base em acordos de delação premiada celebrados no âmbito da “lava jato”.

A denúncia pretendia provar a efetivação da doação ao atual prefeito do Rio de Janeiro por meio de registros nos Sistemas My Web Day-D e Drousys.

Esses elementos de prova, no entanto, foram declarados imprestáveis pelo Supremo Tribunal Federal. Sem eles, “não resta nos autos provas bastantes para subsidiar o prosseguimento do feito ou a acusação formalizada nos autos”.

A defesa de Paes solicitou absolvição. O juiz eleitoral Rudi Baldi Loewenkron, da Zona Eleitoral do Rio de Janeiro, determinou improcedente a pretensão punitiva e extinguiu o processo.

Clique aqui para ler a decisão

Processo 0600009-67.2020.6.19.0229

Consultor Júridico